Agressividade no portão

dog-219892_1280Já aconteceu com você de estar passeando com seu cão e quando passaram na frente de uma casa com um cachorro do outro lado do portão eles começam a latir? Ou até mesmo se estiverem do outro lado da rua? Geralmente quando cães fazem isso é para proteger o território, e mesmo os que estão passeando ás vezes é para protegerem o dono ou a si mesmos. Isso acontece geralmente com cães mais dominantes. O ideal é que haja um treinamento com profissional para saber como solucionar o problema fazendo seu cão ficar obediente, mas algumas dicas que posso adiantar são as seguintes:

Se o cão que está do outro lado do portão começar a latir e avançar em sua direção e seu cão responder da mesma forma o ideal é conseguir parar e acalmar seu cachorro antes de tirá-lo da frente do portão, onde acontece a situação estressora, se você simplesmente for embora com os dois cachorros latindo vai ter reforçado esse comportamento, portanto dê uma bronca no seu cachorro quando ele tentar revidar para coibir esse comportamento, mostre que você está no comando, peça um comando como “senta” para que ele preste atenção em você e não no outro cachorro latindo, e assim que conseguir reestabelecer o controle volte a andar para sair da frente do portão, de forma que seu cão vai estar concentrado na caminhada e não no outro cachorro latindo.

Para ter sucesso nessa manobra é interessante o cachorro ter um mínimo de obediência e noção de comandos.

Em qualquer situação em que seu cachorro tiver um comportamento inadequado e você quiser reestabelecer o controle é importante fazer com que ele obedeça alguns comandos básicos para que o foco dele fique em você e na obediência.

Se você é o dono do cão que está do lado de dentro do portão latindo para os outros na rua e quer que seu cão pare com esse comportamento, precisa reestabelecer a postura de liderança e, principalmente, verificar o nível de energia do seu cachorro, se você tem passeado com ele o suficiente para que esse comportamento não esteja acontecendo por energia acumulada gerando frustração.

De qualquer forma, uma coisa que você pode fazer para inibir esse comportamento é no momento em que ele começa a latir você se coloca entre ele e o portão dando bronca e se puder indicando outro lugar para ele ir, como por exemplo a casinha, ou caminha. Essa é uma manobra bem física, depende bastante da postura e da linguagem corporal do dono para estabelecer para o cão que quem cuida daquele território é você portanto ele não precisa ter essa atitude.

Lembrando que se você tiver alguma dúvida na hora de aplicar qualquer correção em comportamentos caninos é sempre interessante contratar os serviços de um profissional da área.

Entenda porque os cachorros cheiram o traseiro uns dos outros

Você sabe por que os cachorros cheiram o traseiro uns dos outros quando se encontram?

porque os cachorros cheiram o traseiro uns dos outros

Você já se perguntou porque os cachorros gostam tanto de cheirar o bumbum uns dos outros?

Pois é, essa é uma atitude super normal, é a forma que eles se cumprimentam, assim como nós humanos apertamos as mãos ou damos beijo no rosto, essa é a forma dos cães dizerem “olá” 😊

Mas…. Porque justo no traseiro?

porque os cachorros cheiram o traseiro uns dos outros A explicação vem desde os lobos. O olfato é um dos sentidos mais aguçados nos canídeos, então é comum que eles o usem para várias coisas, inclusive na socialização. O cachorro que se interessa em cheirar o traseiro de outro é um cão que se socializa com facilidade, assim como aquele que se deixa ser cheirado.

Mas o que eles descobrem ao se cheirar assim?

Mas.... Porque justo no traseiro? A explicação vem desde os lobos. O olfato é um dos sentidos mais Um dos motivos tem a ver com o que o cachorro come. Na natureza o líder da matilha come a parte mais nobre da carne da caça, os liderados comem as partes menos nobres, e os membros mais fracos comem a carcaça e as vísceras. Isso influencia no odor das fezes, então eles podem reconhecer o nível hierárquico do membro da matilha baseado no cheiro do traseiro.

Outro fator é uma glândula localizada no ânus dos cães. Essa glândula produz feromônios que passam informações químicas através de seu cheiro, e que são possíveis de identificar através de uma outra glândula localizada no nariz, chamada órgão de Jacobson. Esses dois órgãos permitem que os cães troquem informações como: comportamento, nível de energia, estado emocional, idade, sexo…Isso explica também porque os cães medrosos e inseguros colocam o rabo entre as pernas, é como se eles quisessem se esconder.

Esses cheiros também são eliminados nas fezes e urina, por isso os cachorros gostam de cheirar os dejetos de outros cães, é uma forma de reconhecer quem passou por ali deixando seu “cheirinho”.
Cachorro Fazendo Check-inCostumo brincar que quando os cachorros estão cheirando o xixi de outros na rua e deixando seu próprio cheirinho no local, é quase como uma rede social canina: ele cheiram para ver quem passou ali e depois fazem xixi para dar um “check-in” no poste 🙂

Sabia que animais de estimação também sofrem de Depressão, Fobias, e até mesmo TOC?

Oliver, Cão BernesseOliver era um lindo e charmoso cão da raça Boiadeiro Bernesse, porém tinha um comportamento extremamente instável, ele sofria de ansiedade de separação, tinha alucinações e foi diagnosticado com distúrbio compulsivo canino. Chegou a pular da janela do terceiro andar do prédio onde morava para não ficar sozinho no apartamento.

Problemas como esses acontecem constantemente em animais domesticados, mas como fazer para chegar ao diagnóstico e qual a melhor maneira de trata-lo?

Assim como com seres humanos o diagnóstico de doenças mentais as vezes pode demorar para acontecer, mas é importante que esses problemas sejam tratados e levados a sério, podendo até mesmo ser necessário o uso de remédios e terapia.

Sentir medo é uma reação normal de um animal, o problema é quando ele passa a sentir medo daquilo que não apresenta um perigo real para ele. Assim como ter manias também é um comportamento aceitável, mas ser obcecado por essa mania pode ser considerado TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), como por exemplo cães obcecados por limpar as patas lambendo-as, obcecados pela própria sombra, pelo próprio rabo, ou por um brinquedo, sentindo necessidade de persegui-los ou olhar fixamente para eles. O maior problema acontece quando esse comportamento passa a ser repetido tantas e tantas vezes ao longo do dia que o animal simplesmente deixa de ter uma vida normal, devido à obsessão.

Cão perseguindo o rabo

É mais comum encontrar esse tipo de comportamento em animais de cativeiro e animais que não levam uma vida de acordo com as necessidades da espécie, como por exemplo cães que não fazem atividade física regularmente, gatos que são impedidos de ter hábitos noturnos, ou grandes animais em espaços pequenos em zoológicos…

Outra reação que pode aparecer em animais compulsivos é o autoflagelo, por exemplo aves que arrancam as próprias penas.

Um problema psicológico que compartilhamos com outros animais é o TSPT (transtorno de stress pós-traumático), ele acontece frequentemente em cães veteranos de guerra, dificultado o retorno deles a uma vida normal na sociedade, pois muitas vezes não podem ouvir barulhos altos, ou não podem ver homens com barba, pois ficam apavorados.

Cão de Guerra, cão de combate

É importante ressaltar que os transtornos psicológicos de animais não necessariamente são causados pelo homem, ou pela convivência com ele. Cada indivíduo tem uma personalidade psicológica, e dois animais vivendo na mesma casa com o mesmo tratamento podem ter problemas diferentes, ou então apenas um deles apresentar problemas.

Independente do problema psicológico que um animal possa ter, é sempre possível procurar auxílio profissional para ajudá-lo a se sentir melhor. Assim como para humanos, é importante que os animais tenham saúde mental, dessa forma eles podem ser mais felizes e trazer ainda mais alegria para todos que convivem com ele.

Agora… não vamos humanizar os sentimentos dos animais, certo? Animais podem sim sofrer de alguns transtornos psicológicos semelhantes ou até iguais aos de humanos, mas a forma de tratamento pode ser bem diferente. Portanto lembre-se: a melhor forma de demonstrar amor pelo seu animal é suprindo as necessidades da espécie dele, e não da sua.

Hoje em dia existem medicamentos usados por humanos com problemas psicológicos, como ansiolíticos e antidepressivos, alguns deles até podem ser usados também por animais, lembrando que a maioria deles em algum momento foi antes testado em animais, e não somente para testes toxicológicos, mas também testes comportamentais.

Eu acredito que para alguns casos o acompanhamento profissional de um comportamentalista em paralelo com medicamentos, sejam homeopáticos ou alopáticos, é a melhor forma de se tratar um distúrbio psicológico em um animal, mas o melhor remédio pode ser simplesmente o convívio com outros animais mentalmente equilibrados, não precisam nem ser da mesma espécie.

Por exemplo o caso que aconteceu na Tailândia com o macaco Boonlua que quando filhote foi atacado por cães e perdeu as duas pernas e um dos braços. Ele foi resgatado por monges de um monastério que cuidava de animais e os monges acharam perigoso deixa-lo com outros macacos, mas ele começou a ficar depressivo por estar sozinho, então colocaram junto a ele um coelho para lhe fazer companhia, os dois se tornaram grandes amigos e o macaco foi curado da depressão… podemos citar também vários casos de animais como cães, gatos e pássaros que ajudam pessoas a superar medos e depressões.

Vários estudos apontam que a oxitocina, uma espécie de “hormônio do amor” liberado durante a amamentação ou quando estamos próximos de alguém que gostamos muito, aumenta em humanos e em animais, mesmo que não sejam da mesma espécie.

Amor entre espécies - Raposa e Galo Amor entre espécies - Macaco e Tigre Amor entre espécies - Cavalo e Gato

Por isso é importante enxergarmos os animais também como indivíduos e não só como espécie, principalmente quando se trata de problemas mentais.

O Pai de Charles Darwin lhe disse uma vez que todo mundo pode enlouquecer em algum momento, felizmente sempre podemos nos recuperar, mas apenas com a ajuda de um ao outro.

Você sabe de onde surgiu o Ursinho de Pelúcia?

Como surgiu o ursinho de pelúcia

Você conhece a história dos Ursinhos de pelúcia, ou em inglês, Teddy Bear?

No outono de 1902 o então presidente dos Estados Unidos, Theodore Roosevelt, estava de férias caçando ursos no Mississippi. No primeiro dia de caça ele e seus companheiros não encontraram nada, mas no segundo dia, enquanto o presidente almoçava no acampamento, alguns cães encontraram e encurralaram um urso. O guia da Caçada deu uma coronhada no animal com sua espingarda, deixando-o desnorteado o suficiente para conseguir amarrá-lo a uma árvore e ir chamar o presidente para que ele tivesse a honra de matá-lo

O urso era uma fêmea, estava ferida, magra, e com aparência doente. Quando Roosevelt a viu amarrada à árvore ele não conseguiu atirar, ele sentiu pena daquele animal indefeso e achou que simplesmente atirar em um urso amarrado era contrário ao código do esporte de Caça.

Como surgiu o ursinho de pelúcia

Theodore Roosevelt se recusa a matar o Urso

Alguns dias depois a cena foi imortalizada por um cartunista em Washington, onde mostrava um urso amarrado e o presidente com sua arma abaixada, negando-se a matá-lo. No desenho o urso apresenta uma aparência carente e triste, como se precisasse de um abraço, e foi assim que os fabricantes de brinquedos enxergaram uma oportunidade de criar um personagem; nasceu então o Teddy Bear, que levava o nome do presidente, Theodore.

Mas se pararmos para pensar, em 1902 ursos eram figuras aterrorizantes!

The BearO urso simbolizava perigo, e o governo os vinha exterminando, assim como lobos e coiotes , pois – além do perigo que traziam às pessoas – eles matavam o gado de fazendeiros. Outro animal a ficar na mira do governo eram os Bisões que atrapalhavam o caminho dos trens com suas manadas.. e a solução proposta na época era extinguir os animais uma vez que “eles não tinham espaço no mundo civilizado”.

Urso Vs Cidade

Animais Selvagens Vs Cidades modernas

Num período de 10 anos, cerca de meio milhão de lobos foram exterminados. Os Ursos já tinham perdido mais de 95% de seu território e dos 30 milhões de Bisões que viviam naquela região, menos de 100 sobreviveram… Isso mesmo, você leu certo.. dos 30.000.000 sobraram menos de 100….

O interessante é o que o Teddy Bear nasceu no meio desse enorme extermínio, e podemos ver isso como um sinal de que talvez lá no fundo algumas pessoas começassem a se sentir culpadas por toda essa matança… os americanos ainda temiam os ursos, mas ao mesmo tempo também queriam dar um grande abraço nele.

The Teddy Bear

The Teddy Bear

Esse post foi inspirado no Ted Talk: Jon Mooallem: The strange story of the teddy bear and what it reveals e você pode assisti-lo abaixo:

Medalha de Identificação

É muito comum a gente só perceber que deveria ter feito algo depois que os problemas acontecem. Mas em alguns casos é essencial prevenir ao invés de remediar, e esse é um deles.

Ter uma medalha de identificação no seu animalzinho não é apenas seu dever e responsabilidade, mas é um ato de amor. Pode ser a diferença entre o encontrar nosso cão caso ele um dia se perca ou nunca mais vê-lo novamente. E as vezes se perder não tem nada a ver com obediência, ainda mais em época de férias, viagens, e festas com fogos de artifícios. Os fogos assustam os cães e os deixam com medo, já pensou se o seu se perde?

Quem ama identifica! Por isso não esqueça da medalhinha de identificação.

Mordidas de Filhotes

Mordidinhas de filhotes são muitas vezes desagradáveis, pois os dentinhos são finos e afiados, e acabam nos machucando. Mas é normal que o cãozinho fique te mordendo, afinal ele te ama e quer brincar com você. Para evitar que ele faça isso em exagero, existem várias técnicas e exercícios que podem ser aplicados.

Caso você se depare com essa situação, entre em contato comigo e agendaremos uma visita, para que eu possa avaliar seu cãozinho e identificar qual é a melhor solução para que o relacionamento de vocês seja cada vez mais forte e as mordidas cada vez mais suaves, afinal, mordida de amor não dói!!!

Dicas para o Verão

Tá Calor aí? Nos dias de muito calor nossos amados peludos sofrem com o tempo quente e seco. Por isso, sempre que possível, molhe o quintal quando estiver muito sol, isso ajuda a refrescar o ambiente e aumenta a umidade do ar.

Se o seu cão fica dentro de casa, adquira um umidificados ou então deixe uma bacia de água no ambiente em que ele permanece por mais tempo. Lembrem-se: os animais tem mais sensibilidade ao tempo seco e uma simples atitude pode ajudar